sábado, 31 de dezembro de 2011

Retrospectiva - 2011

    Este ano, passou em minha vida como se fosse uma grande ventania, na qual acompanhada de grandes tempestades, levaram para longe oito almas queridas.
    No meio de cada trovoada, sentia o típico calafrio... Iria novamente sentir o embalo da morte entre meus dedos, e iria me despedir para sempre de alguém que conheci...
    Porém houve intervalos em que o sol reinou em minha vida, lavando minha alma com os doces perfumes da esperança e da própria alegria da vida, me reerguendo e fazendo me sentir mais viva no ano mais cansativo de minha vida: Ano de vestibular, sendo mais específica, ano na qual tentei mostrar o que eu tinha de melhor diante folhas de papel e um relógio cronometrando cinco horas.
    Sim, eu dei o meu melhor naquele momento.
    Amadureci mais do que imaginava, vivenciei coisas que jamais imaginara,  me senti amada por alguém que do meu lado já não mais estava.
    Foi o ano em que eu provei a mim mesma do que sou capaz, descobri os meus limites e meus passos reais, reinventei sonhos nos quais eu já tinha os jogado numa lata de lixo por pensar que nunca seriam reais, reciclei amizades e no espelho, me vi mais mulher. Mulher...caminhando em seus próprios passos, tomando iniciativas sozinha, pensando não mais como uma adolescente em crise e sim, como uma mulher em suas dificuldades.
    Agradeço cada segundo deste ano, por ter me tornado mais forte... Cada lágrima, cada ataque de risos, cada vitória, cada derrota. Tudo que me fez crescer.
    
    Perdi amigos, conheci novas pessoas, confiei em pessoas desnecessárias, amei intensamente alguém que não valia a pena, pulei obstáculos, aprendi a desenhar melhor, passei no vestibular, perdi a minha avó, comecei a pintar quadros, li 18 livros, vivenciei o primeiro aninho de minha adorada priminha,fiz a homenagem aos pais em minha formatura, expus um quadro, conheci dois artistas maravilhosos, me apaixonei por Design, fiz festas em casa, fui em festas fora de casa, comemorei com meus amigos e realmente me toquei do que é feita uma amizade verdadeira...


Enfim, superei um ano cansativo, amargo... Mas dentro dele, vou me recordar das coisas doces que vivenciei, meus amigos, meus passeios, meus momentos de diversão e da grande aprendizagem de vida em que tive: Viva intensamente cada dia de sua vida e nunca pense que você é incapaz de realizar seus maiores sonhos, que por mais difíceis que possam parecer, você é capaz de provar ao mundo até onde vão os seus limites para poder alcançá-los! ;)




Um grande beijo da menina que sobreviveu mais um ano de sua vida e é eternamente grata a todas as pessoas que compartilharam junto a ela, este ano de 2011.
Obrigada, por tudo!






sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Go ahead.

    Como numa brisa, minha alma é levemente separada das cinzas, deixando de lado tudo que me parece pesado, levando junto com as folhas,o frescor do seu sorriso.
     O momento em que meus olhos fitaram os seus, soube que não seria enganação,toda aquela vontade de viver, estava somente limitada e presa em minhas emoções. A maior injustiça feita pelo meu coração, foi ter me deixado presa por tanto tempo dentro da escuridão.
    A vida corre lá fora, dia e noite e eu não havia visto até então.
    A escuridão que tapava meus olhos em outros tempos de pura tristeza, não me permitiam ver tal dimensão
que me esperava vida a fora.
    Eis um momento de gratidão.
    Agradeço hoje por ter tropeçado na esperança de um novo caminho, um novo rumo sem um certo destino.
    Uma vida na qual sempre almejei, mas achava que não merecia por ser tão fria até então pelo fato de tal decepção.
    Maldito seja aquele que um dia me roubou o amor verdadeiro, mas que hoje, sozinha, consegui recuperar metade do meu coração, pra poder seguir em frente atrás da emoção caminhando ao meu sonho, sem medo de cair de novo ao chão.
    Pronta para realizar mais uma história em minha vida, dessa vez, cheia de coragem em mãos!

sábado, 24 de dezembro de 2011

Feliz Natal para todos!



   Natal, a época mais marcante e mais linda de minha vida. A festa na qual desde pequena fico ansiosa para rever parentes, fazer cartões natalinos, enfeitar a casa, a ceia, a árvore de natal e ver a família toda reunida.
   Desde pequena quando o Natal estava se aproximando, minha avó me chamava para ir em sua casa, para ajuda-la a decorar com enfeites natalinos. Lembro-me que eu sentava num banquinho e a ajudava a desfazer os nós dos enfeites ao retirar das caixas para colocar na linda árvore que tinha em sua casa, abríamos as caixas e com um sorriso radiante a casa ia criando a típica emoção natalina.
   Antes de colocar os bonequinhos, ursinhos, e bolinhas na árvore, brincávamos de casinha com eles, como se fosse a casa do Papai Noel no polo norte e estivesse pronta para a grande festa, criando vida aos enfeites com o devido espírito natalino.
   Alinhavamos todas as bolinhas e enfeites por cores e tamanhos, colocando os maiores em baixo e os menores em cima, pedíamos ajuda ao meu avô para finalizar a linda árvore enfeitada com luzinhas coloridas e colocávamos no canto, do lado do lugar na qual o Papai Noel sentava para entregar os presentes...
    Quando chegava o grande dia, era sempre uma cena linda, a mesa farta, com deliciosos pratos cheio de cores natalinas, minhas tias sempre bordavam algo especial para o Natal, poderia ser um porta-copos, porta-guardanapo, ou até mesmo um papai noel de enfeite para cada pessoa do lado do talher.
    Lembro da minha avó descascando ovos de codorna e eufórica ao pensar se faltaria algo naquela mesa, mesmo estando totalmente farta... Minha avó e seus deliciosos pratos e sobremesas, junto com sua farofa natalina e sua torta de hóstia.Minha mãe e minhas tias sempre com doces maravilhosos e coloridos, finalizavam a deliciosa ceia.
  Todo ano era assim, unido e cheio de alegria, e mais que isso cheio de emoção ao ver aquele sininho do papai noel batendo na rua e entrando pela porta com seu saco vermelho cheio de lembranças e balinhas para as crianças, no caso eu, meus primos e irmã.
    Antes da entrega de presentes, sempre fazíamos uma retrospectiva de tudo o que acontecera no ano, das nossas conquistas, da superação de nossas derrotas, e agradecíamos sempre, por estarmos juntos mais um ano que passava.
   Após curtir o momento na casa de meus avós maternos, íamos sempre a casa da minha avó paterna, onde justávamos a enorme família para a entrega de presentes... Todos os primos e tios unidos, em volta do papai noel que por lá aparecia novamente, para alegrar a casa e a outra parte da família.

Eram anos maravilhosos que fizeram com que a minha infância fosse a melhor fase de minha vida.
Infelizmente minhas duas avós não estão mais presentes, fazendo com que aqueles momentos que pareciam eternos, não voltassem nunca mais.
Hoje, será o primeiro ano na qual não visitarei minha avó após a ceia, e o 5° natal onde não comerei os deliciosos quitutes natalinos de minha avó.

Porém vai ser um ano na qual passarei com a minha mais nova priminha (do lado materno), que foi um anjinho que apareceu na vida de todos e vai ser o momento mais lindo, onde ela irá reconhecer o papai noel pela primeira vez - 1 aninho.
Tanto pelo lado materno quanto pelo lado paterno, nasceram novas crianças, novas histórias, novos casamentos... Novas família. E é assim que o tempo nos ajuda, reformando, transformando e nascendo novas vidas com muito amor em nossa família!

E eu agradeço profundamente, por poder compartilhar este ano, mais um natal com a minha família mais uma vez, e principalmente com meu avô Eloir, meu avô e padrinho na qual eu amo muito, e faz com que a família, mesmo com a perda de minha avó, continue unida e alegre...

Obrigada por tudo, seja minha família, amigos, como aos próprios leitores do Blog, na qual tenho essa linda liberdade de compartilhar momentos únicos de minha vida com vocês.

Obrigada a todos, e um ÓTIMO Natal, cheio de amor!

Lembrem-se de curtir cada momento dessa data tão linda, para podermos no ano seguinte, relembra-la com muito carinho esta lembrança que será construída nesta noite!

Um grande beijo, da menina que sobreviveu mais um ano cheio de emoções, e está aqui, novamente para registrar mais uma linda lembrança de sua vida!


X_bdddb3b7_large

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

This is it.

    Rasgando a esperança dia após dia,centímetro por centímetro, puxando com os dentes a única fé que tínhamos sobre tal futuro, mordendo as bordas como se fosse a sobra do jantar principal.
    Cá estávamos nós, sentados abaixo da mesa, chorando sobre um futuro que nunca aconteceu.
    Já tínhamos pensado em desistir, isso já era mais do que fato,nossos destinos nunca foram entrelaçados,mas sabíamos que mesmo que mundo não conspirasse ao nosso favor, através do nosso amor iríamos superar.
    Mentiras, ilusões, eram como costumavam a apelidar o nosso sentimento,cuspiam sobre nossas promessas e comentavam sobre nossa falta de discernimento. Mal sabíamos o que eles nos queriam dizer, só pensávamos em passar por cima dos obstáculos e dizer que estávamos a frente de todos, sem saber o que de fato fazer.
    Hoje dou risada e vejo quanto tempo perdido, meros adolescente em fase de rebeldia, procurando um feixe de luz que alimentasse tal alegria, mas que na verdade, não sustentava aquela esperada euforia, e sim, matava-nos dia após dia.
    Blá blá blá, tais rimas inventávamos para nos manter no ritmo, era almoço, era amigos, era sempre "o certo destino". Palhaçada aguçada, circo montado, começávamos nossas brigas, fúteis e deselegantes, eram no meio de uma rua vazia, e por isso, você sempre pensava que estava com um autofalante para algo testemunhar, admito que muitas vezes fiquei envergonhada com tamanho medo de perseguição, não vindo de você, mas sim como uma tal rebelião contra um único cidadão, e eu correndo a te socorrer aos prantos, e o pior: em vão.
    Eram histórias idealizadas, promessas quebradas, mesmo sabendo disso, nossas linhas pareciam perfeitas, nem um pouco tortas, palavras eliminadas como ortografia indesejada.
    Hoje me vejo mulher, com uma xícara de chá, lendo e relendo cartas de amor que hoje já dissolvidos pelo vento, me indagam se a verdade realmente existia, ou se nosso relacionamento foi apenas utopia fracassada.
    Pois ainda há loucos que sofrem calados, vivem na esperança de que os amores sempre passam ao nosso lado, ou quem sabe são só espíritos perambulando na qual nunca ouvira ninguém questionando tal ato.

    Tal história hoje contada, vira uma memória indecifrada, procurando um abrigo entre a chuva das palavras que foram mal ditas em meio a tanta tortura.
    Pobre do homem que se matou em meio a própria loucura, deixando sua mulher pensando alto...sobre as tristes e agora solitárias, aventuras.
386271_243470882379428_232917753434741_724676_1508802617_n_large

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Corro e vivo.

Entre cada passo, cansado hoje, 
mostram mais dois dias que marcaram na minha mente.
Posso estar mais fria hoje em dia,
mas o suor que correu ontem em meu corpo,
prova que as corridas no calor,valeram a pena para chegar ao refresco.


Meu sangue prova que correr não é de hoje,
e que parar não é comigo.
Continuo andando, mesmo que tímido,
mas não paro por medo do inimigo.


Meus olhos mostram o sonho que lá de longe, consigo ver.
E que de olhos fechados só tenho a temer.
Meu sorriso mostra como ser feliz sem palavras,
minhas lágrimas demonstram que nem sempre chorar é por desgraça.


A gente cresce, a gente muda,
a gente aprende a viver e a sorrir,
mas nunca sabemos realmente em quantos passos ainda temos,
para conquistar um final feliz.


Tumblr_lvk0vsxwjk1r701wwo1_500_large

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011