quarta-feira, 18 de maio de 2011

The key of her heart #1

Começo aqui a contar-lhes grandes histórias e sentimentos, dos mais verdadeiros até os mais secretos. Daquela menina,que sonha alto para poder voar, que brinca com suas lágrimas limpando sua clareza de amar.
Em vários versos irei descrevê-la, mas quem já a conhece, só precisa mais entendê-la...


 Ela olhava um abismo no meio dos números encostados na lousa, olhava, olhava, mas na verdade não estava fixada neles... e sim, nele. Ela buscava lembranças em meio dos números... quem sabe datas, telefones, horários. Alguma coisa ela ali lembrava, ela ali ficava... quieta.
 Falavam com ela, e ela com a cabeça nos céus, enfeitiçada numa utopia sem fim, enfeitiçada por sonhos nunca realizados.
 Passando dos números as letras, ela se realizava, buscava tentar assim entender um pouco mais do que sentia, aprendia sempre um pouco mais como poderia se expressar. Era as letras que ela amava, não os números.
 Quando se calava em algum canto, pegava sua agenda rosa, e começava ali a sonhar, colocava no papel tudo o que gostaria de falar... mas não podia. Não podia porque o destino não deixava, era cheio de regras humanizadas que faziam com que ela facilmente desistisse em transformar em som, e transformasse apenas em letras escritas.
 Pousava-se sobre a mesa, encostava sua cabeça junto ao casaco, aquele que muitas vezes lhe protegia do frio. Frio que atormentava suas memórias, atormentava seus sentimentos... Frio não era o que gostava. Não quando se estava ali, sem ele.
 Ela olhava para a janela atentamente, buscando mais alguma paisagem para um quadro, poema,quem sabe apenas uma foto...ou talvez mais uma lembrança.
 Sim sim, menina sonhadora, desde berço eu diria. Sonhava do possível e impossível, no passado e no futuro, e no presente ela registrava tudo o que podia. 
 Sentia o cheiro de morango, como os pássaros observam uma suculenta fruta, nunca ninguém entendera exatamente o motivo de tal paixão, porém ela mantia em segredo, tal que algum dia, alguém pudesse ajuda-la a demonstrar tal paixão. Morango era além de uma fruta, além de um sabor, era um sentimento materializado.
 Não acreditava em nada, seus santos eram sua família, amigos e amores. Anjos eram aqueles que sempre a protegiam, que sempre a iluminavam com os melhores dos conselhos, ou apenas, pelo carinho.
 Menina sonhadora essa... Sonhava que podia voar com olhos fechados e pousar nas poesias e representa-las em quadros.


Sonho que realizou {...}


Tumblr_ll83a5bz0g1qdewlao1_500_large

Um comentário:

  1. Todo mundo tem um canto de alma escrito na ponta de algum papel.

    ResponderExcluir